Projetos

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Uma só voz pela segurança


Utilizei meu tempo de tribuna na sessão plenária desta quinta-feira para dar os meus sinceros parabéns e o meu total apoio e concordância à iniciativa do Grupo Bandeirantes de Comunicação, que lançou uma campanha contra a violênciageneralizada que nosso estado está vivendo.
O Editorial dessa proposta da Bandeirantes é uma preciosidade.
Está sendo veiculado no rádio, na TV, no Jornal Metro, e na minha opinião deveria ser impresso e distribuído a todas as autoridades públicas constituídas.
Registrei que comungo das ideias da Bandeirantes há muito tempo; que assino embaixo e continuarei sendo porta voz dessa mesma causa que é comum a todo e qualquer cidadão gaúcho de bemdar um basta na falta de segurança.
Que a atitude da Band me orgulha como jornalista e me deixa feliz também como mulher, cidadã, mãe e vereadora.
Aos que ainda não tinham conhecimento do Editorial levei o áudio da campanha para escutarmos no plenário.
Além de parabenizar, finalizei, me solidarizando à iniciativa dizendo que continuarei sendo também porta voz dessa luta e que espero que um grito coletivo ajude a provocar uma mudança de pensamento dos governos quanto à Segurança Pública, que tanto precisamos.
O mérito e a importância desse trabalho da Band é total, porque uma rede de comunicação privada está fazendo uma campanha de utilidade pública para fazer chegar a todos através de seus veículos um grito de basta.
Ninguém mais aguenta tanta insegurança. O sentimento que nos conduz diuturnamente é um só: o medo.
Segurança só é prioridade em campanha eleitoral. Chega de discursos!
No dia 26 de fevereiro, ao ouvir os comunicadores de mais de uma rádio, como faço todas as manhãs quando acordo, falarem em sintonia sobre a falta de segurança que assola Porto Alegre e o Rio Grande do Sul, fiz postagens nas redes sociais e cumprimentei diretamente cada um por fazerem o jornalismo de utilidade pública.
Naquele momento, eles foram a voz e o sentimento da população e falaram para as autoridades, apelaram, clamaram por medidas urgentes, frente aos tantos fatos que aconteceram especificamente naquela semana – entre eles o assassinato do publicitário Lairson Kunzler , que chocou Porto Alegre.
Ali já estavam os comunicadores da Band, fazendo esse papel e que agora declaram uma situação limite de forma indignada, empenhados em que se tome uma atitude ostensiva de combate à violência e à criminalidade.
O Editorial:














Nenhum comentário:

Postar um comentário