Projetos

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Oportunidade de rever São Chico

Estive mais uma vez em São Francisco de Assis. Essa ida não estava planejada no meu roteiro, mas, na reunião que fiz com o Rodrigo e a Andréia, colaboradores que cuidam da minha agenda no interior, vendo a região no mapa do Rio Grande do Sul, constatei que estaria por perto e, então, pedi que eles encontrassem um espaço para incluir o município. E foi assim que eu fui a São Chico. Partindo dessa minha vontade de não deixar de aproveitar a viagem à região, surgiu um encontro dos amigos que fiz quando estive lá, em março, para um evento cultural. Acho que cheguei quase de surpresa e confesso que gostei disso, porque tudo fluiu espontaneamente. O Prefeito Ernani, que é médico, tinha uma cirurgia marcada e não pôde estar presente. Fui recebida pela Primeira Dama Ivete de David, que fez as honras da casa de uma maneira brilhante. É mesmo incrível como as mulheres desempenham bem essas funções. Eu me atrevo a dizer que a Ivete é como uma suplente atuante de prefeito.




Havia muitas autoridades na recepção que me fizeram, que foi festiva e produtiva. O meu colega jornalista, responsável pela comunicação da prefeitura, Herton Couceiro, foi, e sempre é, o meu cicerone quando estou na cidade, o que me deixa muito contente, porque ele é uma pessoa que aprecio demais. Depois de uma conversa, para colocar os assuntos em dia, saímos para conhecer o projeto CRAS do Governo Federal. Nesse meio tempo, ligou meu querido amigo Nenito Sarturi, que ficou sabendo que eu estava na cidade, onde ele é delegado responsável. Isso foi uma boa novidade para mim, então, não pude deixar de visitá-lo na delegacia. O Nenito aproveitou e me convidou para assistir seu show, marcado para o dia 30, em Santiago, e foi logo dizendo: "Mônica, essa é uma boa oportunidade para assistir todo o meu show, que ainda não conseguiste, e vou cantar aquela música que tu gosta!” Confesso que fiquei bem entusiasmada em poder escutar ao vivo a música " Um Pito”, pois é uma das mais belas canções regionalista que existe. Falei que iria no show porque estaria ainda na região, porém, apareceu um compromisso de família que eu não contava e que me impede de comparecer. Queria, então, aproveitar esse meio de comunicação que é o meu blog para dizer ao Nenito que agradeço de coração o convite e a homenagem, escutando com carinho o CD que ganhei de presente. E, também, agradecer, de coração, a todos que me acolheram em São Chico.




Com o Delegado e músico, Nenito Sarturi

com lideranças

Com Herton. Entrevista da rádio Sentinela Pampeana

No Ginásio de Esportes com alunos

Aprendendo com as crianças o que se deve e o que não se deve fazer

Mulheres costureiras que fazem cobertores com roupas doadas

Escutei e cantei músicas com alunos de violão.

Visita ao Cras. Fui presenteada, por uma aluna de técnicas artísticas, com uma garrafa muito linda.

com lideranças

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Manoel Viana na minha rota de amigos!

Estive visitando a Prefeita de Manoel Viana, Ione Caminha, que é minha amiga de longa data. Se tivesse que definir a Ione em uma palavra, diria que é um trator, pois trabalha as 24h do dia. Acho mesmo que os sonhos dela são planos de trabalho! É daquelas pessoas que acompanham tudo que acontece na sua cidade. Como gestora, conhece cada metro quadrado da terra que administra com dedicação e competência.
Lá pelas tantas na nossa conversa, eu falei a ela que tinha que trabalhar menos e viver mais. Na mesma hora escutei um sonoro: "logo quem falando!” 
Lembro das boas caminhadas que fizemos juntas quando ela foi candidata à prefeitura. Na época, um grupo de mulheres progressistas saiu daqui de Porto Alegre para apoiá-la . Essa união feminina de forças possibilitou sua grande vitória e hoje temos uma Prefeita em Manoel Viana, o que nos enche de orgulho.

Com a Prefeita Ione, que é gremista como eu!

Um encontro com autoridades e lideranças de Manoel Viana: Prefeita Ione,Vereador Carlinhos,Secretário de Planejamento, Roitan Manganelli, Presidente da Juventude Progressista, Catia Duarte, Presidente do PP, Vico Correia, Presidente do Sindicato Rural, Guido Miguel Durlo

Uma parada para o almoço no Bar da Tia Laura, com a proprietária, Laura Antolini Alves


quarta-feira, 28 de abril de 2010

Valeu Voltar ao Alegrete !

Alegrete tem um significado especial na minha vida política. Era plena Semana Farroupilha do ano de 2006 e eu, candidata ao Senado Federal, com apenas dois meses de campanha, recebi do PP a missão de visitar esta cidade para prestigiar os festejos do 20 de setembro. Eu fazia parte da chapa majoritária, que tinha como candidato ao Governo do Estado, o ex-deputado e Ministro Francisco Turra. O candidato a Vice-Governador foi o Vereador Dib que, por suas limitações físicas, não podia viajar pelo interior, então, eu dividia a agenda, que era extensa e intensa, com o Turra. Costumava brincar com a equipe de marketing que fazia a nossa campanha, que eu era “ dois em um”. Muitas vezes, o Turra e eu fizemos o roteiro juntos. Era uma verdadeira maratona para dar conta de visitar todas as cidades, mas foi o melhor e maior projeto político que participei até hoje, pois nada se compara a uma campanha de rua que permite ao candidato falar com o povo e, nesse caso, conhecer de perto o seu estado. Lembro que era uma manhã muito fria e chuvosa, mas que não me impediu de ficar encantada com a quantidade de cavaleiros enfileirados, prontos para a grande largada. Não estava combinada minha participação no desfile, mas a organização do evento me pediu que fosse, com outras mulheres, numa charrete, e eu claro que fui, pois não sou de bater em debandada nunca. Quando contornamos a Praça Getulio Vargas eu pude ver a grandeza daquela comemoração cívica alegretense e foi ali que decidi aprender a montar a cavalo, o que fiz logo em seguida, e nunca mais parei. Até ali eu não montava a cavalo e nem passava pela minha cabeça que tomaria gosto por isso, e, desculpem-me a falta de modéstia, mas nesse caso não a tenho, que eu me tornaria uma exímia aluna de equitação. Conforme o Capitão Estevão da Brigada Militar, que é o meu professor de equitação, eu monto muito bem.
Desde aquela época fiz grandes amigos nessa terra e sempre me sinto como se estivesse em casa.Os alegretenses depositaram em mim, para o Senado Federal, 11 mil votos que guardo no coração de uma maneira muito especial. Eu caminho pelas ruas da cidade e sou chamada de maneira muito afetuosa de “nossa senadora”. É mesmo incrível isso, pois já se passaram quase quatro anos da minha campanha e mais o período como Secretária da Cultura, mas eles não esqueceram a minha participação no desfile da Semana Farroupilha. Assim aconteceu  logo após eu tomar o meu café da manhã no quiosque  da família Rossi. Atravessei a rua e fui na loja Martini, de apetrechos para bebês, comprar uma lembrança para a Martina. Estava distraída escolhendo um brinquedo para ela morder, porque a Juliana recém tinha me ligado contando que havia nascido dois dentinhos, quando um senhor desce a escada falando: ”mas olha só quem está na minha loja? A nossa senadora!” Com isso os funcionários vieram todos e foi uma festa, tiramos fotos e rimos muito. Quando a coisa se acalmou, voltei a escolher o presente, mas em seguida entraram quatro mulheres e uma virou-se para as outras indicando que eu estava ali e recebi suas manifestações calorosas de boa acolhida.
À noite, fui no jantar de aniversário da minha amiga Kiki, que contou com um grande grupo de amigos que foi abraçá-la. Olha pessoal, a Kiki é uma figura carismática de natureza feliz,  que esbanja sabedoria .Ela é muito querida e conhecidíssima por todos naquela cidade e fora dela também. Ela foi coordenadora dos agentes de trânsito do município. É incrível a popularidade dela. À tarde, fomos dar uma volta na cidade e na hora que ela entrou no meu carro, abriu a porta sem se dar conta que vinha carro do outro lado, dando um susto num taxista que gritou:” dona Kiki, não faça isso comigo!”
No outro dia, eu fui na sede do Partido Progressista onde fui recebida por vereadores, lideranças e militantes com um chimarrão gostoso e mais abraços saudosos. Formamos uma grande roda e o chimarrão passou de mão em mão, embalando uma conversa inteligente e respeitosa sobre as nossas apreensões políticas em relação às coligações para as próximas eleições. Foi maravilhoso estar com os progressistas do Alegrete - gostei demais e vou voltar.

Visita na sede do Partido com amigos progressistas 

Um abraço na aniversariante, minha amiga Kiki

Posto Texacão Funcionario Clésio e Enio 

 Salão Cabeça Feita,Lizete Carvalho e Odile Ringues

 clientes da loja Roselia Marimon e Olga Dornelles

 Funcionarios da Loja Carla, Rodrigo e Jucelia

Loja Martini, Proprietário Deonir Martini

Uma dupla de alegretenses de peso, pai e filho:José Paulo Dornelles eo filho Henrique Dornelles

Amigos alegretenses que foram abraçar a aniversariante Kiki

domingo, 25 de abril de 2010

Visto e Aprovado!

Cheguei do interior direto para a Pré-Convenção do PP, que aconteceu nesse último sábado em POA. Fiz um roteiro bonito para rever amigos queridos que havia prometido visitar logo que fosse possível. A viagem de ida foi muito boa, mas, na volta, enfrentamos chuvas e longas filas de carros parados por conta de obras na estrada.Também tivemos um pequeno problema com o carro e isso atrasou nosso retorno para a capital, mas, enfim, chegamos sãos e salvos a tempo de participar do evento do Partido Progressista. Prometo em breve contar sobre a viagem. Agora preciso falar dos progressistas, da Ana Amélia Lemos e de tudo que aconteceu no Auditório Dante Barone da Assembleia Legislativa. O que vi foi muito mais que o lançamento de uma pré-candidatura ao Senado Federal. Deixando de lado a mega produção que o partido fez para esse evento, com faixas e banners enormes, balões, painéis, a orquestra de Teutônia e uma dupla de apresentadores profissionais de Gramado, vou me deter ao outro lado que não é o material, pois penso que é relevante, no momento em que assistimos a uma desesperança geral pela política brasileira. Foi um grande encontro de progressistas, que estavam saudosos uns dos outros. Deu para sentir isso em cada abraço recebido. Nos olhos e no riso daquelas pessoas que empunhavam bandeiras com o logotipo do PP e vestiam camisetas com a estampa dos seus candidatos, havia uma alegria contagiante. A força da voz daquele povo cantando músicas que contavam a trajetória do nosso partido, foi um brado de determinação que encheu meu coração de esperança pelo compromisso com a boa política. Sim, ali estavam homens, mulheres, jovens, crianças e idosos vindos de todo os cantos do Rio Grande do Sul, que querem, como eu, trabalhar por um Estado melhor. O auditório estava lotado de prefeitos, vice-prefeitos, vereadores, secretários municipais, deputados estaduais e federais, presidentes de todos os movimentos do partido e muitos, mas muitos militantes progressistas. Eu fiquei impressionada com o que vi e senti. Havia uma harmonia entre todos os presentes, como se ali as dificuldades, desavenças e rivalidades desaparecessem e uma causa maior unisse a todos. Os poucos pronunciamentos foram inteligentes e objetivos. A Ana Amélia fez uma breve retrospectiva da sua vida, cativando as pessoas pela sua história e sua forma simples e direta de falar. Foi aplaudida, demoradamente, inúmeras vezes. Já na porta de saída, ao me despedir das pessoas, recebi muitos convites para visitar municípios que tem no comando prefeitos progressistas e também tirei fotos com várias das comitivas que vieram do interior.

Visto e aprovado o encontro de confraternização dos amigos progressistas, que mostraram sua força e, acima de tudo, muita vontade de resgatar a ética e a lealdade, valores que construíram a história do Partido Progressista.


com Francisco Turra, com quem compartilhei inesquecíveis momentos nos 3 meses de campanha ao governo do estado e ao senado em 2006. Uma pessoa íntegra, leal e com uma vasta experiência com o qual muito aprendi

Com a equipe de profissionais de Gramado que trabalharam na organização da Pré- Convenção do PP

Com a Lia Seling e amigos de Montenegro

Com amigos progressistas: Fernando Melo, Presidente da JPG de Venâncio Aires, Letícia Melo, Liane Melo, Ailto Melo, Secretário Geral do PP de Venâncio Aires.


Com Iolanda que foi candidata a Vereadora em Pelotas

 Com a Mauren Najjar

com o Presidente do Partido Progressista em Farroupilha, meu amigo muito querido, Nestor Zanonato e os filhos

com Lino e Zeca, minha dupla de amigos que são grandes lideranças políticas

Pedro Bertulucci

chegada de Ana Amélia Lemos

Ana Amélia Lemos discursando

visão panorâmica do palco

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Em estado de graça

É assim que eu me sinto! Nada de quietude e contemplação numa vida que exige movimentos e tomadas de posição. É preciso ser protagonista dos enredos que se apresentam, mesmo nas tempestades e surpresas. Não dá para ficar como mera espectadora.

Eu sei que estar na política não é fazer uma caminhada fácil, principalmente quando se luta por causas e se trabalha por um ideal. Já me questionei por várias vezes nas consequências de abrir mão da minha vida pessoal em prol da política. Eu sei que alguns dos que escalamos para compor o “time para jogar a copa”, quando chega a hora do intervalo para o segundo tempo, se encolhem ou desaparecem com uma naturalidade que mais parece que não chegaram lá por indicação. Também sei que partido é complicado e, como também sugere o nome, é mesmo "partido". Eu sei que o companheiro de sigla, na hora das eleições, passa a ser o maior concorrente. Está bem, eu sei tudo isso e hoje bem mais, depois da experiência no Executivo. Então, quando meu pai me dizia que a vida pública é muitas vezes dolorosa, hoje, isso não é nenhuma novidade para mim, por ser filha de político desde os meus sete anos de idade. Penso que fui preparada para administrar bem as desilusões tão comuns nesse meio. Mas, ainda assim, eu lembro de algumas conversas que tive com meu pai e uma, em especial, ficou marcada para sempre na minha memória. Talvez porque senti que essa conversa me seria útil. 

Certa vez ele falou que chegaria o dia em que eu teria a sensação de ser um soldado solitário em frente a um campo de batalha. E esse dia chegou! Fui procurá-lo e falei que o dia tinha chegado. Ele virou-se para mim com aquela sabedoria dos profetas e falou: " agora te distancia do problema para que consigas vê-lo com exatidão e não com emoção, pois só assim conseguiras resolver, e o que é mais importante, sem perder o teu entusiasmo”. Foi o que eu fiz!  Mas aí vocês devem estar se perguntando: "mas se é tudo isso que ela diz, porque continua?" Vou contar, então, situações que me aconteceram e mexeram demais comigo. Nesses últimos dias, foram duas, muito parecidas, em lugares diferentes, sendo que numa eu estava acompanhada do Rodrigo Gorski e da Neliane Ereno, e, na outra, estava com meu marido. Como eu quero dar destaque aos dois episódios, vou descrever primeiro um e depois o outro, porque, para mim, vale a pena dividir esses fatos surpreendentes da vida com vocês. 


Em Guaíba

Fui a Guaíba para um encontro com as mulheres progressistas. Era um jantar no galpão da Câmara Municipal e a presidente das Mulheres Progressistas de lá, Andréia,  havia me pedido para, antes, passar na sua casa. Quem me recebeu foi o Armando, marido dela, uma rica pessoa, simpático e educado. A Andréia estava organizando o jantar no galpão e ele me aguardava. A conversa foi, claro, sobre o PP e suas escolhas para coligações, pois é só o que se fala no estado. Mas não deu nem vinte minutos, quando o Armando levantou e disse que queria que eu conhecesse uma pessoa que gostava muito de mim. Chama o filho Gugu, vira-se para ele falando: ”Está aqui como te prometi, a Mônica Leal” . Eu sem entender bem aquele registro, olhei para o Armando pedindo uma luz, e foi aí que fiquei de boca aberta com o que escutei. O pai,com a mão nos ombros do filho, falou: ”Esse menino tem verdadeira adoração por ti desde o dia em que te viu na televisão como candidata a senadora. Ele fez a mãe mudar de partido. A Andréia era do Partido Social Cristão e ele insistiu na mudança e para que ela votasse em ti, porque tu tinha o brilho da verdade nos olhos. Ele usava, com muito orgulho, o teu botom no peito". 
Confesso que, se em algum momento, eu havia sentido vontade de desistir dessa caminhada política e me dedicar para a área da comunicação, que também adoro, com aquele depoimento eu vi que tinha compromisso com a nova geração, que, simbolizada na atitude do Gugu, depositava em mim a sua confiança. Conversamos um pouco mais e mostrei meu blog, que ele passou a acessar diariamente.Prometi que iria postar nossa foto e sei que ele está esperando por isso, porque ontem, seu pai me falou. Com isso, eu quero mandar um recado para esse menino que, sem saber, numa noite em que o dia tinha sido complicado, depois um período de vários debates e embates políticos com o partido e tendo que administrar algumas desilusões na vida pública, me devolveu o entusiasmo pela política.
Por todos os Gugus que me acompanham com confiança e esperança, eu prometo não bater em retirada.


Na Praça da Encol em Porto Alegre

Domingo, último, pelas 9h30, eu fui na Praça da Encol com a minha neta Martina. Era uma manhã linda que mais parecia de verão do que de outono. Um calor forte e a praça cheia de crianças com bicicletas e brinquedos e também muitos nenês nos carrinhos. Os pais, vestidos com roupas esportivas, em pequenos grupos de amigos, conversando e cuidando dos pequenos. Essa era a primeira vez que eu levava a Martina na praça em frente a minha casa, pois, como ela mora no Moinhos de Vento, sempre que tenho tempo para passear com ela, levo ela para o Parcão, que é mais perto, já que o objetivo é pegar ar puro, sem sol forte. Sentei-me num banco e logo chegou o avô para curtir a Martina. No mesmo banco estava sentada uma moça alta e muito bonita, com um nenê maravilhoso de olhos claros, o Davi, bem graúdo e risonho. Ela, falante que nem eu, logo engatou numa boa conversa e falamos sobre nossas crianças. De repente ela olha para mim e diz:” mas tu não és a Mônica Leal”? E eu respondi que sim. E numa euforia falou:” Ah, meu filho te adora!”  Eu, vendo que ela era muito jovem para ter filho adolescente, devo ter feito uma cara de espanto, quando ela logo disse: "ele é um menino, o Luca, que te conheceu na tevê quando foste candidata ao Senado, daí em diante ele é teu fã e nós passamos a acompanhar teu trabalho”. Eu fiquei impressionada com aquilo, pois mais uma criança acompanhava a minha trajetória política e sentia afinidade comigo, o que me fez sentir, mais uma vez, o tamanho da responsabilidade com os pequenos. Depois, tiramos fotos da Martina e do Davi, que se tornaram amiguinhos e vão festejar em breve seus aniversários de um ano, já contando com a presença um do outro.Vou postar essas fotografias em homenagem ao Luca,  que quero conhecer pessoalmente para agradecer o privilégio de contar com a sua confiança. E quero convocá-lo para, num domingo desses, levar o seu irmãozinho Davi na Encol, que eu levarei a Martina no mesmo banco, onde poderemos trocar altas idéias!

Com o meu amigo Gugu de Guaíba



     Eu, Martina, Davi e sua mamãe na praça da Encol



              Os novos amigos, Davi e Martina





quarta-feira, 21 de abril de 2010

Encontro com nossos talentos gaúchos

Dia desses, fui no Teatro de Câmara Túlio Piva assistir ao show de lançamento do CD “Grande Véio” de Erlon Péricles. Eu recebi o convite do próprio cantor, através do Rodrigo Gorski, que trabalhou comigo na Secretaria da Cultura. O Erlon é um compositor, instrumentista e cantor dessa nova leva de talentos regionais. Foi a primeira apresentação musical que eu fui após deixar a secretaria e, mesmo com um dia atribulado de reuniões importantes com o Partido Progressista, fiz questão de comparecer, pois gosto da muito da música regionalista que divulga o nosso Rio Grande do Sul. No final do espetáculo, que foi aplaudido por um grande número de pessoas, de pé, completamente animadas e que pediram bis, fomos para o saguão do teatro e lá encontrei amigos muito queridos que fiz nesse meu tempo de Secretária da Cultura. Ali, foi um momento mágico em que eu pude sentir o reconhecimento dos músicos por eu ter oportunizado palco aos nossos talentos gaúchos durante a minha gestão. A conversa foi leve e solta. Ganhei cds de presente, tiramos fotos e, o mais legal, foram os pedidos, para que eu, agora com uma agenda mais light, compareça aos shows. Gostei demais desse encontro que o show proporcionou e de ter escutado, ao vivo, as composições de Erlon Péricles, que falam de amores e desamores, das lidas do campo e declaram nossa adoração pela terra gaúcha.

Com  Borguetinho 

     Com o Rodrigo, Lenin Nunes e Ernesto Fagundes                  

Com  Flavio Hansen

terça-feira, 20 de abril de 2010

Colega de partido e de idéias


Fui convidada para um café com o deputado federal Afonso Hamm. Cheguei no local e encontrei um cidadão bem humorado, educadíssimo e culto. Esse encontro me proporcionou saber um pouco mais sobre este político atuante, que é do meu partido, mas, por incrível que pareça, nunca tínhamos conversado tanto para saber que pensamos de forma parecida sobre política e o Rio Grande do Sul‏.
Fiquei muito bem impressionada com a trajetória desse parlamentar que tem forte atuação na área do esporte, sendo Presidente da Comissão de Desporte e Turismo da Câmara Federal e está super envolvido com a Copa do Mundo. Essa conversa reforçou para mim a importância da Copa para o Brasil, em 2014, que terá 12 cidades-sedes para a realização desse evento esportivo mundial. O Afonso acredita que a Copa deixará um legado importantíssimo para o país e, desde já, temos que trabalhar, e depois aproveitar bem, as inúmeras melhorias em infra estrutura, saúde, educação, turismo, esporte, mobilidade urbana que serão implementadas.Isso será um grande golaço para nós brasileiros! Eu que não sou muito de futebol vou passar agora a torcer dia e noite pela Copa do Mundo.O que faz o esporte, não? Em função dessa conversa, acabei por saber um fato curioso: que o deputado foi jogador profissional de futebol, treinado pelo técnico campeão do mundo Felipão, que eu conheci através do Gilmar Veloz. A Zulma e o Gilmar Veloz foram meus vizinhos na Bela Vista, e são aqueles amigos queridos que a gente pode passar um tempo sem ver, mas quando encontra, a conversa flui como se tivéssemos falado ontem.
Gostei muito de encontrar e conversar com o Afonso Hamm, que tem posição e atitude, que vai lá e faz acontecer. E é disso de que o Rio Grande do Sul precisa.

domingo, 18 de abril de 2010

Estilo de Vida

Meu filho Marcelo, que é casado com a Fernanda, mora numa bela casa na zona sul. Lembro como se fosse hoje o dia em que, ainda noivos, os dois compraram o terreno para construir essa casa. Na hora eu confesso que não gostei muito, porque logo pensei na longa distância que separaria as nossas casas, mas como tenho por principio não me intrometer nas decisões dos meus filhos, a não ser que isso coloque em risco a vida deles ou a minha, fiquei quieta. Claro que ele, muito esperto, notando isso, me provou que eu demorava mais tempo do meu trabalho à minha casa, na Bela Vista, por causa do trânsito, do que no percurso até a casa dele, que contava com a nova perimetral. Também falou que preferia morar mais longe e no meio da natureza, podendo acordar de manhã e olhar os morros, sentir o cheiro do verde, apreciar o silêncio e não ter vizinhos em baixo, em cima e dos lados. Eu entendi e, logo, dei meu apoio, porque o Marcelo se identifica com isto e, desde criança, tem esse espírito. Os anos passaram e os dois construíram a casa do jeito que queriam. E mesmo "longe" é um prazer a ida até lá, sempre que dá,  para um almoço em família e para sair um pouco da Porto Alegre agitada que estamos acostumados. Cada vez que eu vou na casa do Marcelo e da Fernanda, constato como é forte também  o gosto pelo convívio com animais. Dois cachorros labradores, o Flow e a Margarida, participam da vida do casal desde quando eram namorados. O estilo que eles tem de vida, lembra muito o meu quando criei meus filhos, sempre em contato com árvores, flores, terra, bichos, cachorros, patos, passarinhos e peixes, pois achava que era saudável para o desenvolvimento deles.Teve uma vez que a Juliana, que devia ter uns seis anos, resolveu lavar a cabeça do Beto, um pato que ela tinha, com shampoo. Minha nossa, o Beto passou mal e tivemos que secá-lo com secador, fazer uma caminha em baixo de um abajur para ficar quentinho e foi graças a isso que sobreviveu. Sempre tive animais em casa. Eu fui criada com uma cachorra pastor alemão, a Cuca,  do lado do carrinho. Meu pai, como todo militar, confia nessa raça e sempre tivemos cães pastor alemão em casa. Lembro que a única vez que não gostei foi quando o Marcelo me apareceu com um hamster que mais parecia um rato e esse animalzinho, com todo respeito, eu tenho horror, mas, na época, tive que aceitar aquele bichinho trazido por ele. Voltando à casa do Marcelo, no jardim tem um limoeiro e uma laranjeira que já estão dando frutas. A Martina, como pode se ver nas fotos desta postagem, acompanhou essa ida pela primeira vez e foi almoçar na casa dos "dindos", e tenho certeza que ela vai ficar freguesa...

James e Juliana apresentando a Martina para a labradora Margarida.Num primeiro momento a Margarida ficou de costas.
 
Depois de explorar a casa dos Dindos, Martina e eu caímos de cansadas na rede.
 

Agora já amigas, essa dupla promete ser inseparável.
 
Martina encantada com as flores da casa dos Dindos

Marcelo com a Martina na rede da varanda da casa

Fernanda e Marcelo com a Martina

Marcelo e Felipe jogam uma partida de sinuca

Essa é a Margarida uma labradora dócil que assistia as descobertas da Martina com um ar de complacência

sábado, 17 de abril de 2010

Galeria de Manifestações

Queridos leitores:



Já passados quinze dias na minha nova caminhada, após os três anos de Secretaria da Cultura, aos poucos vou conseguindo colocar toda a comunicação em dia, comunicação esta gerada durante os últimos eventos que acompanhei e viagens que fiz como Secretária, ainda em março, e também as manifestações que foram chegando por e-mail ou pelos comentários neste blog, na semana em que me despedi da função no Governo do Estado. Isso sem falar das mensagens que chegaram no meu celular. Me dispus a ler todas, a responder diretamente a maioria e decidi usar o blog para publicá-las numa galeria de manifestações que demostram um pouco do que eu sinto nesse momento de mudança de foco e de novos objetivos de vida. Essas pessoas já estão contribuindo, com seu ânimo e incentivo, para a minha nova empreitada. E esses dias passados foram de certo descanso (merecido), mas também foram de agendas intensas e muitas reuniões positivas e produtivas -  e não poderia ser diferente para quem há pouco estava em plena atividade em uma secretaria de estado, focando toda sua energia para finalizar sua gestão em meio a balanços, relatórios e orientações à equipe e à diretora geral Juliana Erpen, que agora é a Secretária da Cultura em exercício.
Bem, quem me conhece sabe que eu gosto de compartilhar ideias e externar meus sentimentos pelo que realmente vale a pena e pelo que faz a diferença:

--------------------------------

Querida Sogra,

Mais uma missão cumprida...mais um desafio a vencer!!!!
Quero te cumprimentar  pelo lindo trabalho realizado na Secretaria de Cultura do nosso Estado. Eu, que  sempre estive perto, sei do teu empenho e dedicação frente ao Universo Cultural.  Deixaste tua marca, teu esforço profissional e pessoal.
Agora tens um  novo desafio...muito trabalho pela frente. É hora de sonhar, fazer planos e ter  muita energia para realizá-los, superando todas as dificuldades e obstáculos.  Mas nunca esqueça que não estás sozinha...Estarei sempre ao teu lado!!! 
"MISSÃO DADA É MISSÃO CUMPRIDA". E muito bem cumprida...Parabéns!!!!!


Um beijo grande,  Nanda.


--------------------------------

Mônica:

Gostaria de dar os parabéns pela força e determinação que você demonstrou "para a mulherada" durante o encontro em Vacaria dia 13 de Março/2010. Você acabou de ganhar mais uma admiradora !

          Abraços,
 Greice M. Oliboni / Encontro da Mulher Progressista dos Campos de Cima da Serra.


--------------------------------           

Sucesso!
Senhora Secretária,

Gostaria de parabenizá-la por sua incansável turnê pelo interior do Estado, desmitificando o processo cultural e suas formas de participação e captação de recursos. Também, aproveito a oportunidade para agradecer por colocar o funcionário  e "pastor, bispo e cardeal" Rafael Balle, que tem atendido muito gentilmente nossas ligações e prestado uma valiosa ajuda.
Ao mesmo tempo que ficamos tristes por sair da  Cultura, alegramo-nos com uma futura atuação, coerente, séria e comprometida. SUCESSO!!

Um grande Abraço Poético! Muita saúde e luz!!!

Rodrigo Neres
Dep. Cultura Santiago
Terra dos Poetas

--------------------------------

Agradecimento:

Dra Monica, estou lhe escrevendo tomando esta liberdade porque a senhora ontem no centro administrativo deu me o seu cartão assim como para mim e demais colegas que ali se encontravam, Dra Monica embora a senhora não saiba mas sou grande admirador do seu trabalho e de sua competencia junto a secretaria e demais cargos que desempenhou, por isso lhe desejo muito sucesso em sua jornada, e sei que seu nome tem tudo a ver com a vossa pessoa.[ LEAL]



Um abraço e mais uma vez obrigado.


artur nunes


-------------------------------- 

Minha prezada Correligionária MÔNICA LEAL:

No momento em que a nobre Amiga se despede das relevantes funções que ocupava no Executivo Estadual Gaúcho, como representante do Partido Progressista, colocando seu honrado nome à consideração da nossa grei partidária para concorrer no pleito de 03 de outubro vindouro, expresso-lhe, com satisfação e por dever de justiça, meu reconhecimento e agradecimento pelo magnífico trabalho realizado, almejando-lhe pleno sucesso e expressiva vitória no embate eleitoral que se avizinha.

Abraço fraterno do
Francisco Turra – Presidente da ABEF.

São Paulo, abril de 2010.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Políticos Irretocáveis

Da esquerda para a direita: vereador Beto Moesch, eu, presidente do PP de POA, Líder da bancada progressista e do governo, vereador João Dib, jornalista e pré-candidata ao Senado Federal, Ana Amélia Lemos

Participei da reunião com a bancada de vereadores progressistas e executiva do diretório municipal, que recebeu a pré-candidata ao Senado Federal, jornalista Ana Amélia Lemos. Enquanto o Vereador João Dib coordenava a reunião, que seguia com uma troca de ideias do mais alto nível, vereadores, secretários municipais e lideranças políticas, exteriorizaram suas preocupações e sugeriram pautas importantes para a vida dos porto-alegrenses. Eles falaram do meio ambiente, da segurança, educação e saúde. Fiquei maravilhada com os políticos da capital! Minha nossa, que alegria, que alento confirmar que eles continuam os mesmos, pois saí da Câmara Municipal faz três anos e três meses, mas nada mudou, para minha satisfação. Trabalhei lá por 12 anos e depois fui vereadora por dois anos, um total de quatorze anos. Foi um tempo muito feliz na minha vida porque trabalhamos por uma boa política, aquela que atende as necessidades da população. Voltar à Câmara, que é um lugar de total referência para mim, escutar verdadeiros homens públicos imbuídos pelo bem comum, olhar para o líder da bancada e do governo municipal, que, da cabeceira da mesa, comandava os demais, me fez entender que eles, e aquela organização, tiveram uma grande participação na minha formação política.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Sangue Novo na Política

Ana Amélia Lemos comigo

Estive no almoço das mulheres de negócios que aconteceu no Hotel Plaza São Rafael. A palestrante foi a jornalista Ana Amélia Lemos, que é pré-candidata ao Senado Federal. Ela deu um verdadeiro “banho” de conhecimento sobre os problemas atuais e as soluções para o Estado. Eu, que carrego comigo a disciplina de sempre buscar solução para as coisas, fiquei encantada com o que escutei. E não é de hoje que conheço a Ana Amélia. Meu pai, ela e o Tavinho, seu marido, são amigos de longa data. Em 2006, quando eu nem imaginava ser convocada pelo PP para concorrer a uma vaga para o senado, eu fui, como Vice-Presidente das Mulheres Progressistas do Estado, acompanhando a Ana Regina, que é a Presidente, fazer uma visita para convidá-la a concorrer ao Senado Federal, porém ela não pôde aceitar por causa do compromisso profissional que tinha com a RBS. Depois disso, contando com o tempo natural das decisões de um partido antes de eleições, recebi aquela convocação, que assumi com muita garra. Fiz, em três meses viajando pelo interior, que não conhecia, os 854.700 votos que guardo com muito carinho e orgulho, pois, afinal, quase um milhão de gaúchos depositaram em mim a sua confiança. Jamais esquecerei essa conquista!

Ana Amélia Lemos, Yara Blochtein e eu

Nesse almoço estiveram presentes cem mulheres líderes. Foi um verdadeiro sucesso. A secretária Ana Pellini estava representando a Governadora Yeda. Maria Helena Gonzáles, da Coordenadoria da Mulher, Maira Caleffi, Presidente do IMAMA e o Ex-Secretário da Agricultura, João Carlos Machado, também foram prestigiar a Ana Amélia Lemos. Fiquei contente de encontrar o fotografo Cristiano Estrela, que foi quem cobriu a minha campanha como candidata ao Senado. Agora, o Cristiano está registrando a campanha da Ana e isso é bom demais, porque ele é muito competente, além de ser um cidadão sério e comprometido com o que faz. Inclusive, recebi dele essas fotos que estão postadas. O Guerreiro também foi fotografo da nossa campanha, e lembro que ele e o Cristiano fechavam uma dupla imbatível.
Coisa boa ter a Ana Amélia na mesma caminhada que eu já trilhei. Não tive como não recordar as viagens pelo interior do Estado com a chapa majoritária. As carreatas, comícios, encontros, entrevistas e debates faziam parte do nosso dia a dia e cumpríamos com total dedicação. Acordava as cinco da manhã, tomava um café e pegava a estrada para visitar municípios e falar das nossas propostas.

Olha pessoal, não existe nada mais enriquecedor do que participar de uma campanha política. E falo isso sem querer aqui passar a ideia de que tudo são flores, porque não são não. Existem momentos difíceis onde abrimos mão do convívio com a família, perdemos o aniversário de um filho, andamos no sol e na chuva, passamos frio e calor, ficamos longe das nossas coisas, de casa, enfrentamos riscos na estrada e assim por diante. Sem contar que nossos parceiros políticos, nessa época, viram os maiores inimigos, porque são concorrentes. Mas tudo fica pequeno diante da grandeza das manifestações de apoio do povo gaúcho.