Projetos

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Ano Velho e Ano Novo

Há um tempo para cada coisa nesse universo surpreendente que é a vida.
Tempo para um ano que chega ao fim e para um ano que se inicia. E é justamente nesse momento mágico, de tranquila transição, que aproveito a oportunidade para avaliar o tempo dedicado aos meus amigos: os de perto, os de longe, os antigos, os recentes, os que encontro sempre e aqueles que vejo pouco.
O ano passa e às vezes alguns parecem ter ficado esquecidos, ou não tão bem “atendidos” como deveriam.
Há os amigos a quem muito devo, e com os quais muito aprendi, com os quais construí sonhos, para os quais dei o melhor de mim.
Esse tempo não é mais o mesmo para os amigos que precocemente já partiram desta vida, porém, pelas lembranças constantes, vejo que deixaram suas raízes profundas em mim.
A esses amigos que possibilitam a vida, e a vida só vale a pena quando se tem amigos, eu quero brindar um Ano Novo. E dizer que as verdadeiras amizades continuam a crescer, mesmo sem muito tempo para cultivá-las, no corre-corre do dia-a-dia, e que as minhas são, sem dúvida, o maior patrimônio que conquistei ao longo da minha trajetória pessoal e profissional.
Que em 2010, o meu tempo me proporcione ver e estar com esses amigos.

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Um destaque para a Cultura

Gostaria compartilhar o que considero mais uma vitória na gestão da cultura de nosso Estado. A Secretaria de Estado da Cultura está com duas campanhas publicitárias que registram algumas das principais realizações nesses três anos de administração: as mudanças que aprimoraram a Lei de Incentivo à Cultura (LIC) e o programa "A Arte de Incluir pela Cultura”. A primeira campanha já pode ser conferida em 30 outdoors distribuídos em diversos pontos de Porto Alegre e a segunda está no ar nas rádios da capital, com depoimentos de pessoas que foram beneficiadas pelas ações. Vejam abaixo, foto do outdoor.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Um anjo que guarda minha vida

Essa moça delicada que aparece na foto abaixo chama-se Silvani Rebiski. Ela hoje é minha assessora de gabinete, está comigo há 10 anos e me conhece pelo olhar. A delicadeza da Silvani não está só no seu perfil físico, mas no seu jeito discreto de ser. Ela mais parece um “biscuit” que pousou na minha vida e atende tudo com uma competência de dar inveja aos grandes empresários. A Silvani é de Inhacorá e mora em Porto Alegre há um bom tempo. Chegou do interior com a cara e a coragem, trabalhou em serviços gerais e logo despontou para outros vôos. E vai longe, porque é comprometida, leal, dedicada e disponível. Posso dizer que é o meu braço direito e esquerdo. Nunca vi, por exemplo, ela dizer algo típico entre os jovens funcionários: “mas esse não é o meu serviço”. Que nada, ela faz tudo e não é preciso nem pedir, porque ela vai fazendo. Quer ver uma boa dela? Às vezes fico trabalhando até tarde na Secretaria e de tão envolvida acabo esquecendo de comer, pois ela discretamente entra na sala e deposita uma bandeja com iogurte e suco na minha mesa e fala baixinho: “Já é tarde e a senhora não comeu nada, precisa se alimentar”. Com a Silvaninha, estou muito bem assessorada.
Silvani Rebiski organizando o mural.

domingo, 27 de dezembro de 2009

Colo de mãe

Tem coisa melhor que um colo de mãe? Eu creio que não e confesso que adoro esse afago. Sempre consigo um espaço no colo da minha mãe, e lá vou eu, usufruindo do seu infinito amor e de sua inesgotável paciência. A minha mãe é daqueles seres humanos que, certamente, teve a forma esculpida por Deus, porque é perfeita em tudo. Ela é doce, ao mesmo tempo que é enérgica, e está sempre presente na vida dos filhos sem jamais ser demais. Esta foto foi tirada logo depois que cheguei das minhas viagens pelo interior do Estado. Ela me olhou, me viu mais magra e cansada e me deu uma chamada carinhosa, o que acatei respeitosamente prometendo comer mais e melhor, assim como dormir também, mas não sem antes tirar uma “lasquinha” do colo dela.



Minha mãe e eu.

sábado, 26 de dezembro de 2009

Ainda o Natal em Família

Continuando o Natal....Recebi muitas ligações e mensagens de amigos que curtiram demais a postagem do meu natal em família. Em homenagem a essas pessoas queridas, aqui vão mais fotografias. Nesse momento, estou em Torres, e o calor é intenso, coisa maravilhosa caminhar descalça na areia branquinha da minha praia. Depois, vou andar de bicicleta, que é o meu meio de transporte preferido em Torres. Volto amanhã para Porto Alegre.

Meus irmãos: João Paulo, Cristina, João Pedro, eu, Maria Inês, Ângela e meus pais: Carmem e Pedro Américo

Juliana desejando feliz natal para o seu irmão Felipe

Cristina minha cunhada, Juliana minha filha e eu

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

O meu Natal em família

eu com meus irmãos João Paulo, Martha e Ângela

meus pais com as noras Cristina e Rose

agora só as mulheres da família

Alexandre (marido), Juliana (filha), Martina (neta), James (genro) e eu.

O Natal para a minha família é um verdadeiro ritual. Isso por conta da enorme dedicação da minha mãe, Dona Carmem Ibanez Leal, à família, à religião católica e ao espírito de Natal, o que faz ser essa, a mais importante data para reunir a família, e que se inicia pelo menos um mês antes, com reuniões que preparam o Presépio Vivo, composto pelos mais miúdos da família, que colocam as vestes de cada personagem, costuradas por ela!

Para minha mãe, o Natal impõe até regras – onde estivermos temos que voltar, para estarmos todos juntos, e olha que a família é bem grande. E pela importância que todos aprendemos a dar ao Natal, é com gratidão e doação que nos reunimos em torno dos patriarcas da família Leal.

Na noite de 24 de dezembro, depois da encenação do presépio pelos netos, os filhos, noras e genros, também participam cantando a Noite Feliz e, de mãos dadas, todos nós rezamos o Pai Nosso para agradecer a Deus por nos conceder a dádiva de manter a nossa família unida e com saúde.

E não pode faltar a figura do Papai Noel, que, junto com os presentes, puxa um saquinho vermelho que dentro tem vários bilhetinhos e lê as “recomendações” para aqueles que cometeram algumas falhas durante o ano, como nota baixa, briga com irmão, festas demais etc, e isso inclui os netos adultos também. Funciona como um puxão de orelhas de final de ano. Depois que o Papai Noel vai embora vem a hora do Amigo Secreto, que é sempre descontraída, com as características e peculiaridades de cada um sendo “expostas”, e onde acontecem declarações muito engraçadas que arrancam risos tanto dos adultos quanto das crianças. Ao final, a ceia.

Eu adoro o natal da minha família e não perco por nada nesse mundo. Sou uma mulher muito feliz por ter meus pais com saúde desfrutando das nossas vidas e das vidas dos meus filhos. Para mim, este ano teve um clima ainda mais especial, pois foi o primeiro natal da minha primeira neta, a Martina, e eu projeto que, em breve, ela estará também sendo ensinada e apresentada pela bisavó Carmem ao verdadeiro espírito de Natal, e desejo que possa cultivar isso dentro dela, assim como eu e a mãe dela, minha filha Juliana.

Papai Noel com a Martina

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Pedido irrecusável

Eu passei os doze meses desse ano na correria do dia-a-dia do governo e da Cultura. Foram muitos os dias em que almocei em restaurantes no centro da cidade, perto do trabalho, porque realmente não dava para perder tempo no trânsito até a minha casa. Também foram inúmeras às vezes em que pedi tele-entrega do restaurante Copacabana, que aprecio demais.
Até aí não tem novidade nenhuma, porque sei que não sou a única mulher a almoçar na rua, mas o surpreendente está na maneira tranqüila com que os meus filhos administram as minhas ausências, inclusive, resolvendo problemas quando esses aparecem. E eles nunca reclamam ou pedem nada, tudo está sempre bom e, por isso, quando recebo algum pedido deles, corro para atender na hora.
Foi na segunda-feira que o meu filho, Marcelo, falou que a Fernanda, minha nora, queria almoçar lá em casa e que a Martina tinha que estar junto. Eles são padrinhos da pequena. Eu, claro que, na mesma hora, liguei para a Juliana e pedi que reservasse o almoço de quarta para nós. Ao meio dia e meio, a Juliana estacionou o carro em frente à minha casa e o Marcelo, que já estava esperando, abriu o portão indo buscar a Martina, que estava sentada numa cadeirinha com cinto de segurança dentro do carro. Logo atrás, a Juliana com sacola e sacolinhas (minha nossa, quanta tralha que um nenê exige). Almoçamos ao som dos primeiros gritinhos da Martina, que parecia saber que era o centro das atenções, e todos nos esforçamos para atender o afetivo pedido da Fernanda.

A Fernanda é aquela nora que toda a sogra gostaria de ter: sempre pronta para ajudar. Às vezes fico me lembrando do namoro desses dois, que durou 10 anos, sem contar que se conheceram na 1ª série do Colégio Farroupilha e já eram amigos inseparáveis. Se for verdade que existe alma gêmea, eles são um do outro, pois se dão muito bem, o que me deixa muito feliz.

Minha nora, Fernanda, meu filho Marcelo e a pequena Martina.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Esforço reconhecido

Eis aqui uma grande vitória que eu quero comemorar com todos vocês. E já adianto que estou me sentindo toda poderosa! Desde o primeiro ano da nossa gestão na Cultura, recebemos o troféu destaque do Governo do Estado, ou seja, são três anos consecutivos fazendo mais com menos, o que muito me orgulha.
Das mãos do Secretário Ricardo Englert, a Secretaria de Estado da Cultura, na pessoa da Diretora Administrativa Eroni Mattei, recebeu o Prêmio Qualidade do Gasto. O destaque é dado àqueles órgãos do Estado que alcançaram os melhores resultados na eficiência da utilização dos recursos orçamentários. O troféu integra a proposta das Oficinas de Reeducação para o Gasto Público, do projeto Fazendo Mais com Menos, promovido pela Divisão de Programação Orçamentária, vinculada ao Tesouro do Estado da Secretaria da Fazenda.


Diretora Geral, Juliana Erpen, Diretora Administrativa, Eroni Mattei e eu.

intuição feminia e faro político, infalíveis!

Quando escrevi no blog um texto intitulado “Um Desabafo” (em 11/12), relatei a minha percepção de que era visível o desinteresse dos Parlamentares pelo Projeto de Lei Pró-Cultura. Lamentavelmente, se confirmou: ontem, dia 22 de dezembro, foi retirado o Regime de Urgência de vários Projetos do Governo, entre eles o PL-294/08, que criava o Sistema Unificado de Financiamento Cultural.

Veja bem, unicamente, quem perde é a comunidade cultural, sejam os artistas, sejam os espectadores. A LIC continuará funcionando, porém o FAC não será implementado, quando deixarão de ser utilizados mais de R$ 600.000,00 depositados no mesmo.

Eu, na condição de Secretária de Estado da Cultura, tenho só a lastimar pela irresponsabilidade de quem detém a competência legislativa, que não avaliou a dimensão das conseqüências negativas e nefastas para o âmbito de pequenos, mas importantes projetos culturais que viriam a abrilhantar nossos espaços e acervos. Projetos que seriam contemplados por recursos do Fundo a partir de quesitos públicos e transparentes, associados à seleção criteriosa de qualidade.

Preciso deixar registrada minha frustração diante desta luta inglória. Foram mais de doze meses de construção democrática, discussões que avançaram positivamente em melhorias do texto e da proposta e, em especial, no consenso obtido no ponto que teria sido o mais polêmico: a alteração das atribuições do Conselho Estadual de Cultura. O Governo acolheu o clamor da comunidade e recuou em sua proposta original. Nada mais democrático do que este fato.

Recolho-me agora, tomada de sentimento de repúdio e perplexidade.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Estive no Alegrete!

Nesse último domingo, estive no Alegrete para o lançamento da 3ª edição da Revista do Imigrante, que integra a programação do Projeto Tributo ao Imigrante, evento que reúne entretenimento, confraternização, reconhecimento às personalidades e artistas regionais e marca o calendário alegretense e do Estado, mostrando a todos o quanto este município se preocupa com a cultura e a diversão de sua população e também com a sua memória e com o seu passado. A Revista do Imigrante nos traz informações interessantes e homenageia, através de um cuidadoso trabalho de pesquisa, uma das etnias mais inseridas na colonização do estado do Rio Grande do Sul, que é a etnia italiana. A proposta, em sua iniciativa de manter viva e documentada a história da imigração, é, na minha opinião, um exemplo de projeto cultural comprometido com a cidadania, com o conhecimento, com as origens da terra e com o entendimento de sermos todos gaúchos, acima de tudo. Mesmo com a chuva, foi grande o número de pessoas que estiveram prestigiando as atividades artísticas e culturais no ginásio Oswaldo Aranha. O cerimonial do evento foi impecável na organização e sensibilidade ao constatar que o calor era intenso e que havia pessoas de idade e crianças de colo, então, apenas duas autoridades se pronunciaram e logo iniciaram as apresentações culturais. A Vice-Prefeita, Maria de Fátima Mulazani, subiu ao palco para dar as boas vindas a todos os presentes. Deixo os meus parabéns aos promotores, os tantos apoiadores locais e os patrocinadores desse evento, pois eles foram fundamentais na contribuição a um projeto que age realmente em benefício da população.

PP de Alegrete

Antes de chegar ao evento cultural, passei no CTG Farroupilha onde estava ocorrendo a festa de final de ano do PP da região. Fui recebida pela ex-vice prefeita Leoni Caldeira, pelos vereadores Sandro Barua, Leni Caldeira e Miriam Surhe (também presidente da Mulher Progressista de Alegrete) e pela Presidente Estadual da Mulher Progressista, Ana Regina Gorski. Também estavam presentes neste evento que reuniu mais de 500 progressistas, o Deputado Federal Luis Carlos Heinze e o ex-presidente da Farsul, Ary Marimon. Sempre é muito bom rever os progressistas amigos, que estão espalhados por todo o Rio Grande. Encontrá-los é sempre um “combustível” para continuar a minha caminhada que, às vezes, não é nada fácil. Meu vinculo com Alegrete nasceu quando fui candidata ao Senado Federal, em 2006, onde tive a honra de desfilar na Semana Farroupilha do município e, naquele, momento senti que aquela terra e aquela gente fariam parte da história da minha vida. Então, cada vez que volto, revivo o sentimento de afeto e de gratidão pelos progressistas alegretenses, pois sempre recebi muito apoio. E a torcida, na época da campanha, é algo que nunca esquecerei e que ficará guardado de forma muito especial no meu coração.

A Miss Itália-Brasil, Ozyane Pilecco e eu com um exemplar da revista.

Com o Grupo Nativista Gurizada Macanuda.

No lançamento da Revista.

O ex-presidente da Farsul, Ary Faria Marimon e eu.

Vereadora Miriam Surhe, Vereador Sandro Barua, eu, ex vice-prefeita Leoni Caldeira,Presidente Estadual da Mulher Progressista, Ana Regina Gorski, Dadila e vereadora Leni Caldeira.

Claudio Marimon, a Presidente Estadual da Mulher Progressista, Ana Regina Gorski e eu.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Estúdio para ensino à distância

Fiquei feliz por ter participado, a convite do Presidente do Tribunal de Justiça, Desembargador Armínio José Abreu Lima da Rosa, da inauguração de mais um espaço tecnológico de nosso Poder Judiciário: o estúdio destinado à realização de cursos de ensino à distância (EAD). Localizadas no
5ºandar do Palácio da Justiça, no Centro de Porto Alegre, as novas instalações servirão de base para o treinamento e aperfeiçoamento de magistrados e servidores. O evento veio ratificar a minha opinião de que as iniciativas da Presidência do Tribunal vem sempre em prol da comunidade gaúcha, a partir de avanços tecnológicos e de gestão, que visam garantir os
Direitos e as garantias individuais dos cidadãos.

Estavam presentes na solenidade o Presidente do Tribunal de Justiça, Desembargador Arminio José Abreu Lima da Rosa, o Corregedor-Geral da Justiça, Desembargador Luiz Felipe Brasil Santos, a Coordenadora do Memorial do Judiciário, Mary Biancamano, o Desembargador Donato João Sehnem;o Coordenador dos Juízes-Corregedores, Antonio Vinícius Amaro da Silveira; o
representante da Procuradoria-Geral da Justiça, Alceu Schoeller de Moraes e a representante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Carmelinda Ida Mazzardo.

Na solenidade de inauguração do EAD.

domingo, 20 de dezembro de 2009

PRÊMIO ARI 2009

Estive na solenidade da Associação Riograndense de Imprensa (ARI), realizada na Assembléia Legislativa, que entregou os troféus aos vencedores do 51º Prêmio ARI de Jornalismo. Como jornalista, e apaixonada por tudo que diz respeito à comunicação, sempre enfatizo a importância do papel da imprensa e a necessidade da consciência dos seus profissionais sobre a dimensão do seu poder de alcance e significado nos dias de hoje, e de como devem trabalhar isso em benefício de todos, e não o contrário. Pela listagem dos indicados desta edição do Prêmio, podemos ver a qualidade dos trabalhos inscritos, surgidos da dedicação à profissão de jornalista, criados pela vocação desses tantos profissionais que buscam a história e a atualidade, que pesquisam o que foi fato e o que será, que registram o que deve ser conhecido pela sociedade gaúcha, que traduzem o nosso estado e o nosso país. Parabéns a todos os colegas que concorreram ao Prêmio ARI de Jornalismo.Quantos talentos o sul tem nessa área!

Cerimônia de premiação da ARI
Entregando o Prêmio Reportagem Cultural

sábado, 19 de dezembro de 2009

Sábado de Verão Legal!

Hoje cedo eu estava na estrada rumo a Capão da Canoa onde aconteceria o lançamento do Projeto Verão Legal 2010 do Governo do Estado. O evento começou às 10h em ponto, o que apreciei muito, pois adoro pontualidade. Foi na Avenida Beira Mar, em frente ao Baronda, e havia uma multidão de baixo de um sol quente. A Governadora Yeda Crusius estava radiante, também não era para menos, pois entregou 34 veículos para a Brigada Militar e Policia Civil da região litoral norte. A ocasião foi festiva e com direito a bolo e parabéns pelos 40 anos da Operação Golfinho. O Governo do Estado, através do Projeto Verão Legal, trabalha para ampliar atendimento, prestado no litoral gaúcho durante os meses de verão. O objetivo é proporcionar um veraneio seguro e com mais serviços à população que se desloca em grande número para as praias. O ponto alto desse projeto é que ele contempla as principais demandas dos municípios do litoral norte e sul em segurança, turismo, preservação ambiental, estradas e prestação de serviços públicos. Esse ano, as novidades serão: a participação da Junta Comercial nas Casas de Governo, ações educativas contra a dengue, informações sobre a gripe A e emissão de documentos, como carteira de identidade, CPF e carteira de trabalho. Agora, o melhor de tudo é que a segurança será reforçada nas nossas praias durante o período de veraneio, sem que o efetivo na capital e nas demais cidades sofra redução. E isso só está sendo feito graças ao controle das finanças e ao ajuste fiscal feitos pelo Governo Yeda Crusius. Também serão contratados 600 novos salva-vidas temporários para atuarem na Operação Golfinho 2009/2010, o que significa que o Estado está investindo em melhores condições de vida para o povo gaúcho. É que esse é um governo de gestão e não de política!

Mulheres pioneiras

Dentro da programação do Dia Nacional do Ministério Público, a procuradora-geral de Justiça, Simone Mariano da Rocha, inaugurou, na última semana, a Sala das Mulheres Sophia Galanternick Sturm, no Palácio do Ministério Público.
Na ocasião, foram homenageadas as mulheres que fizeram parte da história da Instituição pelo seu pioneirismo: Sophia Galanternick Sturm, primeira promotora de Justiça do Estado e do Brasil; Maria Isabel de Azevedo Souza, primeira procuradora de Justiça do Ministério Público; Simone Mariano da Rocha, primeira procuradora-geral de Justiça; Jacqueline Fagundes Rosenfeld, primeira corregedora-geral; Maria Regina Fay de Azambuja, primeira ouvidora-geral; Eunice Terezinha Ribeiro Chalela, Iolanda de Oliveira Samuel, Lígia da Costa Barros e Marly Raphael Malmann, primeiras promotoras de Justiça após Sophia Galanternick, aprovadas no concurso de 1976; e Letícia da Silva Palhano, primeira motorista do MP.
Essas mulheres não só foram pioneiras em muitas coisas, mas também, e principalmente, deram asas aos nossos sonhos. E a frase do Governador Osvaldo Cordeiro de Farias – 1938 a 1943, que está registrada na página 343 do livro “Olhar Feminino: Histórias de Vida do Ministério Público”, diz muito sobre a trajetória dessas mulheres:

“De ordem do Senhor Governador, comunico à Senhora que o governador não quer mulher casada na Promotoria. Agradeço o seu serviço.”

Assim, Sophia Galanternick, 1ª Promotora de Justiça do país, foi afastada de suas funções.
Mesmo com esses empecilhos, muito devemos a mulheres como Sophia por hoje ser tão forte e indispensável a presença feminina na sociedade, mesmo que ainda estejamos escalando degraus para chegarmos a um quadro mais justo e igualitário entre homens e mulheres, quanto a chances de emprego, salários equivalentes e condições de trabalho nas diversas áreas. A mulher se dá bem e conquista, cada vez mais posições, muito devido ao seu talento nato para doação, que ocorre em qualquer função e em qualquer área de atuação, seja no trabalho e principalmente junto à sua família e aos filhos. Arrisco a dizer que a mulher tem, na verdade, uma sensibilidade característica da feminilidade e da maternidade que faz com que ela se sinta mais atingida pelo sofrimento humano e tenha um desejo maior de ajudar, de se engajar por causas injustas e lutar pela melhoria do bem estar social do meio que a rodeia. O que essas mulheres, que estão sendo homenageadas através da Sala Sophia Galanternick do Ministério Público, fizeram de forma excepcional e pioneira no campo jurídico.

No evento de inauguração, representando a Governadora Yeda Crusius.

A procuradora-geral de Justiça, Simone Mariano da Rocha, e a Procuradora de Justiça Supervisorado Memorial do MP, Mauren Jardim Gomes, no momento da inauguração da Sala das Mulheres Sophia Galanternick Sturm.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Literatura e música: Um espaço para a comunidade na zona sul de Porto Alegre

Tive a oportunidade de conhecer o Instituto Popular de Arte-Educação (IPDAE), uma instituição localizada no bairro Lomba do Pinheiro de Porto Alegre, que propõe o acesso à leitura, à música, à arte e à cultura como instrumentos mediadores na formação do indivíduo. Fui lá para repassar a doação de 272 livros infanto-juvenis arrecadados nos Seminários de Capacitação da LIC que realizamos este ano, doados pelos participantes como forma sugerida de inscrição. Confesso que fiquei encantada com o trabalho desta organização da sociedade civil, sem fins econômicos, apartidária , que foi fundada em abril de 1998. Fui recepcionada pela Diretora e fundadora, Fátima Flores, que me mostrou o maravilhoso trabalho que a entidade desenvolve. O IPDAE mantém a Biblioteca Leverdógil de Freitas, sendo uma biblioteca central e duas ramais, a Escola de Música, o Museu Comunitário da Lomba do Pinheiro e o Memorial da Família Remião. A Biblioteca Leverdógil de Freitas além de empréstimos de livros mantém diversos programas de fomento à leitura, tais como: Contação de Estórias, Oficina de Leitura, Gincana da Leitura, Leitores do Ano, Curso de Xadrez, Varal da Poesia e Concurso de Contos. A Escola de Música oferece, gratuitamente, cursos de Flauta Doce, Flauta Transversal, Violino, Viola, Violoncelo, Teoria Musical, e mantém a Orquestra Infanto-Juvenil IPDAE e o Coro Infantil.

Repassando a doação de livros para a Diretora Fátima Flores.

Acompanhando a aula de violino.
Alunos estudando para prova de música.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Fernando, concordo contigo!

Lendo os jornais, como faço todos os dias assim que acordo, deparei-me com uma nota do jornalista Fernando Albrecht, do Jornal do Comércio, que, na minha opinião, deve ser colocada num quadro e pendurado com destaque em praça pública, pelo seu teor verdadeiro e para nos fazer pensar: “ .....Não há registros na história moderna do Rio Grande do Sul de Chefe de Executivo que tenha sofrido tamanha barragem de artilharia.”
O Fernando Albrecht está certíssimo, pois eu não me lembro de nenhum governador que tenha sido sistematicamente tão atacado como a Governadora Yeda. A impressão que tenho é que existe um grupo de pessoas contratadas 24 horas para elaborar ataques contra ela e sua família. Sim, eu digo “contratados”, porque é simplesmente impossível que um ser normal cumpridor do seu horário de trabalho e tarefas, com suas obrigações particulares, consiga dispor de tempo para cuidar da vida do outro. Esse tipo de ataque requer dedicação exclusiva, pois, da forma como é feito, exige muito planejamento. Parece que o grupo é dividido em equipes de destruição: as que elaboram, planejam, executam, controlam, divulgam e por fim a equipe que faz a avaliação do estrago.
Vivemos hoje no RS uma política raivosa.Tenho a impressão de que estamos em tempos de guerra moral e de pensamentos orquestrados que promovem a destruição por completo daqueles que, como a governadora, alçam um grande vôo e se destacam. A meta é não sobrar nada a não ser cinzas. Mas, aí eu, cá com os meus botões, me pergunto: será que esse pessoal não tem medo da lei da natureza? A vida é um bumerangue, tudo que vai um dia volta, ou seja, aquilo que fazemos para os outros, um dia recebemos na medida, ou em dobro.


quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Descontração no Palácio Piratini

Muita alegria e muitos planos para o Natal e final de ano. Foi assim que aconteceu o encontro de confraternização com os deputados da base do governo e Secretários de Estado, recebidos pela governadora Yeda no Galpão Crioulo para um gostoso churrasco gaúcho ao som de canções regionalistas. A noite favoreceu. O céu estrelado e a temperatura de verão, revelaram ainda mais a beleza dos jardins do Palácio. O cantor Volmir Martins foi a grande estrela da noite, pois cantou uma música que tinha feito especialmente para a governadora e foi aplaudidíssimo. Depois, desceu do palco e, com o microfone sem fio na mão, improvisou e cantou músicas que falavam um pouco de cada um dos deputados e secretários que estavam presentes. Ele arrancou risos e
assobios da platéia, que estava atenta e ansiosa para saber o que viria pela frente.
Saí de lá às 22h e fui para casa assistir a entrevista da governadora Yeda no programa Conversas Cruzadas, onde ela deu um banho de gestão!

Da esquerda para direita: Deputado Alceu Moreira, Deputado Boca, Comandante da Brigada Militar Cel. Trindade, Presidente da Coordenadoria Estadual da Mulher, Maria Helena Gonzaléz, eu, o Secretário da Fazenda, Ricardo Englert, o Secretário de Segurança, Edson Goularte e o Presidente do Banrisul, Fernando Lemos no jantar.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

II Conferência Estadual de Cultura

Tive a satisfação de fazer a abertura da II Conferência Estadual de Cultura , que aconteceu na última sexta-feira, 11 de dezembro, na Assembléia Legislativa do Estado, realizada pela Secretaria de Estado da Cultura. Fiquei muito gratificada de ver 332 delegados da cultura, representantes de diversos municípios gaúchos, lotarem o Auditório Dante Barone, juntamente com as principais entidades representativas da cultura, trazendo suas propostas e experiências; participando e atuando como verdadeiros defensores da cultura do Rio Grande do Sul. A produção e a coordenação foi da equipe da SEDAC e da Comissão Organizadora que foi formada para trabalhar a conferência. Foram debatidas e definidas as propostas do Rio Grande do Sul para a cultura, considerando os eixos sugeridos para a Conferência Nacional de Cultura, que acontecerá em março do ano que vem, em Brasília. A mediação da mesa foi conduzida com muito conhecimento e firmeza pela Coordenadora do Sistema Estadual de Museus, Simone Monteiro. Um documento, resultante das discussões, foi elaborado. No final das atividades foram eleitos 33 delegados, conforme presença na Conferência, e distribuição dentro das 9 Regiões Funcionais do Estado, que participarão da Conferência Nacional em 2010, representando o Rio Grande do Sul. Missão cumprida. Deixo aqui meu agradecimento especial a todo o pessoal que trabalhou para este evento que reuniu e engrandeceu a comunidade cultural do RS.



No carro, meu escritório itinerante, assinando os certificados da Conferência aproveitando o tempo de deslocamento de um compromisso para outro.

Abrindo a II Conferência Estadual de Cultura.

A mesa de abertura.

O início dos debates mediado pela Diretora do Sistema Estadual de Museus, Simone Monteiro.



segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Noite de lembranças

Fui convidada pela direção do Colégio Nossa Senhora do Bom Conselho a participar do espetáculo Noite de Luz, que celebrou o Natal com os alunos e seus familiares. A mim, coube declamar um poema de Fernando Pessoa, "O Menino Jesus", e fui acompanhada da academia de música Piá Piano (teclado e voz). Ao meu lado um menino de cinco anos, o Théo Ruas, vestido de anjo, encenou o poema. Este menino com sua maneira afetuosa de ser roubou o meu coração e fizemos uma dupla afinadíssima. Depois, a professora Marisa cantou a música de Maria Bethânia, "O Doce Mistério da Vida", sentada numa janela no alto do prédio. O espetáculo foi encerrado com a canção Noite Feliz, e na platéia os anjinhos da patinação, anjinhos com bolinhas de sabão, alunos e público deram-se as mãos e cantaram juntos. Daí já dá para ter uma idéia da grandeza do evento e, eu, que nunca declamei nada, pelo menos nos últimos vinte anos, fiz bonito. Saí de lá feliz por ter voltado ao colégio onde passei boa parte da minha infância e adolescência. Essa época marca muito a vida da gente e basta um momento como este para tudo voltar a nossa mente: os nomes das colegas, as professoras, a hora do recreio, as aulas de bordado, piano, inglês, francês e culinária, a educação tradicional, a forte disciplina exigida, as amizades que fiz para toda vida, tudo que foi cultivado nos bancos das salas de aula do Bom Conselho. O tempo passou, e hoje me orgulho vendo o crescimento desse colégio, que na bela apresentação da Noite de Luz mostrou que continua valorizando a cultura e a participação de seus alunos, de seus ex-alunos, dos funcionários, ensinado a boa educação, a solidariedade e o respeito ao próximo.


Apresentação do cantor Daniel Torres.
Momento em que recitei a poesia.

Pais e alunos reunidos na confraternização de Natal.

Com o aluno da escola, Théo Ruas, que encenou a poesia enquanto eu declamava.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Um desabafo!

Desde que assumi, frente ao desafio de comandar a pasta da Cultura, tive como uma das principais metas, o bom uso do dinheiro público a conquista de uma estrutura adequada, tramitação positiva e correta do nosso mecanismo de incentivo oferecido, a LIC (Lei de Incentivo à Cultura). Dois momentos cruciais nortearam a minha busca por readequações e melhorias: o choque de gestão que implementei para que não ocorresse o fechamento da LIC, em janeiro de 2007, após me deparar com o relatório apresentado pelo Ministério Público Especial ligado ao Tribunal de Contas do Estado, que apontava para a falência da LIC e o outro ponto decisivo para as mudanças, foi a instauração do Grupo de Trabalho, logo após eu ter denunciado uma fraude contra o Sistema LIC, que revisou a lei e enviou um novo projeto à Assembléia Legislativa.
O Projeto de Lei (PL) 294/2008 - Pró-Cultura, que tramita no Parlamento Gaúcho, desde novembro de 2008, além de prever alterações na LIC, contempla a implementação do Fundo de Apoio à Cultura, o FAC, para projetos de pequeno porte. O Pró-Cultura proporcionará uma disputa mais leal entre os projetos culturais, porque os "grandes" não irão disputar espaço com os "pequenos". Os grandes projetos (que tem mais apelo comercial) terão espaço na LIC, enquanto que os pequenos projetos poderão solicitar recursos através do FAC. No PL, as empresas patrocinadoras compensarão até 100% do valor investido através da LIC, desde que depositem 10% do valor na conta do FAC, o que irá garantir a execução através deste aporte financeiro. Seria uma verdadeira capitalização do FAC a partir do patrocinador privado. Com o FAC funcionando, o critério para execução dos projetos será a meritocracia, ou seja, tendo mérito cultural, o projeto será realizado. Os pequenos projetos que não possuem viés comercial , terão o subsidio e o apoio do Estado.

Eu luto incansavelmente, desde novembro de 2008, pela aprovação do PL na Assembléia Legislativa, porque acredito que a comunidade cultural será beneficiada com um fomento cultural mais forte e justo, fortalecendo a política cultural do Estado.
Esta foi a razão do pedido de urgência para que o projeto fosse rapidamente à votação no Plenário. Inclusive, avançamos no atendimento de muitas das demandas da classe cultural em relação a alguns pontos polêmicos do PL 294/08, mas, sinceramente, percebo que falta interesse de alguns deputados em levar este projeto à votação no Plenário. Isto me leva a lastimar profundamente, pois mais um ano virá sem a implementação do FAC, somado ao fato de que deixaremos de utilizar os recursos depositados naquele Fundo no ano de 2009 - mais de R$ 600 mil . Não poderia afirmar que seja por "picuínhas políticas de bastidores", aliás, nem gostaria de que fosse por isso, porque acredito que o Parlamento Gaúcho deve sempre primar pelo bem da comunidade rio-grandense. Mas não posso me furtar de questionar o porquê dessa indefinição...

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Mulheres Farroupilhas!

Nesta quarta-feira, pelas seis e meia da tarde, peguei a estrada rumo a cidade de Farroupilha, acompanhada pela Ana Regina Gorski, presidente do Movimento das Mulheres Progressistas do Estado. A Ana faz um trabalho no partido que é maravilhoso e tem como objetivo incentivar as mulheres a se lançarem candidatas nas Câmaras Municipais, Estaduais e Federal, e, consequentemente, fortificar o movimento feminino dentro do Partido Progressista (PP). E essas não são tarefas nada fáceis. Eu, como boa observadora que sou do universo político, sei que essa é uma longa e dura empreitada e que as mulheres precisam de muita coragem e persistência para conquistarem espaços onde culturalmente predominam os homens. Precisamos ter mais consciência da importância das mulheres na política, pois, se já atuamos de forma tão presente na sociedade, no mercado de trabalho, nas nossas famílias e na nossa comunidade, enriqueceremos a caminhada feminina com a conquista de posições e lideranças políticas. Assumindo esse lugar conseguiremos mudar o quadro tradicional da política brasileira e poderemos imprimir a visão feminina de vida também nesse campo. Eu sou uma apaixonada pela política e me encanta a oportunidade de colaborar principalmente para despertar as mulheres gaúchas a lutarem por melhorias na saúde, segurança, educação e na cultura. Sempre que a minha agenda permite, eu acompanho a Ana Regina nesses encontros. Nesse de ontem eu fui ainda mais entusiasmada, porque tenho naquela cidade um amigo muito querido e especial, que foi grande parceiro de fortes embates que tive na minha vida partidária. Esse fiel escudeiro, que sempre esteve ao meu lado, é o José Nestor Zanonato, presidente do PP em Farroupilha. Eu o conheci através do ex deputado, Francisco Turra. O Nestor coordenou, no ano de 2006, a nossa campanha ao Governo do Estado pelo interior. Ele fez um trabalho exemplar, dedicado e leal, levando os nossos nomes e propostas a todos os rincões gaúchos. Então, para mim, um pedido do Nestor é algo sagrado e saio da onde estiver para atendê-lo. Sabia que, para ele, a minha presença nesse evento era muito importante, pois aconteceria a posse da diretoria da Mulher Progressista do município, que é liderado pela dinâmica Márcia Inês Georg. E lá me fui, depois de um dia intenso de trabalho na secretaria, pois por nada eu deixaria de prestigiar o meu amigo presidente do PP de Farroupilha. Fui muito bem recebida por todos no encontro que reuniu 48 importantes lideranças no sítio do vice-prefeito, Fabiano Feltrin e foi marcado por falas que destacaram a importância do trabalho da mulher na política, pela celebração pela posse da nova presidente, pela presença da imprensa, além da saborosa churrascada de costela e salsichão acompanhada de um bom vinho da serra. Após o churrasco, foi a hora da música, com o músico Raí e sua filha Bruna. Também estavam presentes, o Vice-presidente do PP, Gedeão Lutz e o Vereador Josué Paese Filho. Já era tarde da noite, quase 23h, e momento de ir embora. Depois de uma despedida afetuosa, prenunciando saudades, uma surpresa: eu e a Ana Regina recebemos cestas com produtos típicos da região que de tão pesadas mal conseguimos segurar!

Jornalista Alberto Reis da TV Farroupilha, Presidente do PP de Farroupilha, José Nestor Zanonato e o Vice-presidente do PP, Gedeão Lutz.
Entrevista TV Farroupilha.

Na hora da entrega das cestas.

Minha fala às mulheres.

Panorâmica do jantar.

Pose das mulheres para foto.

Visual do belo churrasco.

Com todas as lideranças.

Com a família do Zanonato.