Projetos

segunda-feira, 28 de abril de 2014

O casamento de um grande amigo do meu filho


Neste sábado, fui ao casamento de um amigo de infância do meu filho Felipe, o  Beto, como é carinhosamente chamado pela sua família e pelos seus amigos.
O Felipe e o Beto cresceram juntos, estudaram no mesmo colégio e jogaram futebol pelo mesmo time. Eles faziam parte da Seleção do Israelita e participavam de campeonatos em Porto Alegre e fora também. O primeiro longe de casa era uma Macabíada* no Rio de Janeiro.
Eles queriam muito ir, sonhavam com isso e faziam planos porque era a chance de participar da Copa das escolas judaicas do Brasil. Então, consegui levar a turma, que além deles, contava com outros dois colegas, o Mauricio  e o Geraldo.  Eles adoraram! Passavam os dias na Hebraica jogando. Eu ficava acompanhando e no entardecer recolhia os quatro para o hotel a bem de descansarem.
Bastante  treinos, disciplina, concentração e garra resultaram em  várias  vitórias.  Ficou para a história do colégio Israelita de Porto Alegre o dia em que eles conquistaram para o colégio, o título de campeão. Eu senti uma alegria muito grande em participar desse momento deles e me lembro até hoje daquelas carinhas cansadas e realizadas.  
Foi assim que nasceu e se desenvolveu a amizade e parceria dessa dupla, unida pelo compromisso de defender a sua escola.  
O Felipe e o Beto têm em comum no mínimo três características preciosas: lealdade, simplicidade e a generosidade.  
Agora eles são adultos. O Felipe namorando a Duda e o Beto a Catarina, hoje sua esposa. Duas criaturas maravilhosas essas meninas! É de se agradecer esses namoros tão saudáveis e tão bonitos.
No ano passado, o Beto ficou noivo e convidou o Felipe para ser seu padrinho. Era o vínculo da amizade deles se perpetuando.
Quando vi o Beto entrar na cerimonia de braço com a sua mãe Nara, a felicidade dela e do Nelson, o pai, e no cortejo de padrinhos, o Felipe, não preciso nem dizer que não segurei a emoção.
A cerimônia teve aspectos das diferentes religiões dos noivos, a católica, da Catarina e a judaica, do Beto. A avó da noiva, fez a sua benção afetiva, assim como fez um representante da comunidade judaica. 
Os pais e irmãos do noivo leram uma mensagem sobre relacionamento e casamento e, por fim, Maurício, um dos irmãos, foi o responsável pelo tradicional ritual da quebra do copo, que, entre seus vários significados, está a simbologia de que, da mesma forma que o copo não pode ser emendado, o casamento marca e muda os noivos para sempre. Após o gesto, como de costume, todos gritaram voz alta "Mazal Tov", uma expressão hebraica de parabéns e boa sorte.
Depois, seguiu uma belíssima festa, tudo realizado no espaço NTX, maravilhosamente decorado.
Compartilho algumas fotos da ocasião:

A entrada da noiva com seu pai
Crédito Foto: Deu o Chic

O noivo, Beto, com sua mãe, Nara
Crédito Foto: Deu o Chic

Os pais do noivo felizes com a realização
Crédito Foto: Deu o Chic 

O casal Duda e Felipe

Com minha amiga de toda vida, Tanara Régia Bier Moreira

A decoração e iluminação do espaço

Bela foto reunindo as famílias Costa e Sirotsky
Crédito Foto: Deu o Chic

Os querido noivos Catarina e Beto 
Crédito Foto: Deu o Chic







* O Maccabiah é um dos cinco maiores eventos esportivos em todo o mundoEm português, Macabíadas. Evento multiesportivo criado primariamente para atletas judaicos. É realizado pela União Mundial Macabi a cada quatro anos, em Israel, tal como os Jogos Olímpicos. Tem a sancão do Comitê Olímpico Internacional e da Federação Esportiva Internacional. As Macabíadas Nacionais são organizadas pela Confederação Brasileira Macabi.











Nenhum comentário:

Postar um comentário