Projetos

domingo, 18 de maio de 2014

Museus de portas abertas


Museus são campos de convívio, espaços de diálogo e inclusão social. Instituições a serviço da sociedade e de suas frequentes transformações. Por isso, mesmo sendo espaços que guardam o tempo, não podem, jamais, parar no tempo. 
O Rio Grande do Sul é um estado de tradição na área museológica. Deu base para a construção de uma política pública nacional para o setor e nossas instituições somadas, configuram a maior média per capita do Brasil. Também, a maioria dos museus gaúchos oferecem gratuidade de entrada, ou seja, nos convidam ainda mais a visitá-los.
Quantos brasileiros, em viagens para fora do país, enfrentam longas filas, aguardando para adquirir um ingresso e entrar em um museu famoso?
Relembro o meu período como Secretária da Cultura do Estado e das ações que foram feitas no primeiro ano da gestão, em 2007, decisivas para a continuidade das atividades de três museus vinculados à pasta.
No Museu Julio de Castilhos foram executadas obras urgentes de manutenção da estrutura, revitalização e pintura internas e replanejamento da museografia. 
No Museu de Comunicação Hipólito José da Costa foi possível recuperar o projeto que havia perdido prazos e recursos na gestão anterior e iniciar as reformas pelo programa Monumenta do Ministério da Cultura. 
No Museu de Arte do Rio Grande do Sul, uma parceria imediata com o Banrisul resolveu o problema crônico das instalações de ar-condicionado, o que permitiu a realização da Bienal do Mercosul e das demais exposições, inclusive internacionais, que não ocorreriam caso não houvesse condições de climatização.
O 18 de maio, Dia Internacional dos Museus e as semanas alusivas em seu entorno, ambos propostos pelo Conselho Internacional de Museus (ICOM), este ano com o tema “Coleções criam conexões”, geram estímulo para a realização de iniciativas de divulgação dos museus e de encontro com o público e vêm alertar os gestores para que se proponham a novos desafios a serviço da educação e que não esmoreçam na busca permanente pela sustentabilidade dessas casas, zeladoras da memória, da nossa história e da expressão humana.



Na imagem acima, no sentido horário: Com meu pai, Coronel Pedro Américo Leal, na reabertura do Museu Militar, em 2012. Conhecendo o Museu e Arquivo Histórico de Panambi/RS, em 2010  Visitando as instalações do curso de Museologia da UFPel, Pelotas, em 2009. Acompanhando as obras do restauro da fachada do Museu Julio de Castilhos, Porto Alegre, em 2010. Na abertura do 11° Fórum Estadual de Museus, Porto Alegre, em 2008.

                          

                                          






Nenhum comentário:

Postar um comentário