quarta-feira, 30 de dezembro de 2020

Momento de retrospectiva


Cada ano tem seus fatos marcantes e de cada ano saímos marcados de alguma forma. Fica difícil dizer o que não marcou em 2020, um ano que entrou para a história. Todos fomos afetados pela pandemia do novo coronavírus. 
Na Câmara Municipal de Porto Alegre, iniciamos o ano legislativo com algumas sessões plenárias realizadas, mas logo tiveram de ser adotadas as medidas sanitárias indicadas para a diminuição do contágio do vírus, e o trabalho remoto foi uma delas. Tivemos então que nos adaptar a uma nova forma de discutir e votar os projetos de lei, sem a presença dos colegas, sem os debates e embates na tribuna, mas o trabalho legislativo não parou, muito pelo contrário. Entre os projetos que apresentei, destaco o que permitiu que as fachadas laterais dos prédios sem janelas e aberturas, chamadas de empenas cegas, sejam locadas para a colocação de mídias publicitárias pela iniciativa privada, fomentando a economia dos condomínios e também dos pequenos e médios empreendedores. O projeto foi aprovado pelos vereadores, mas vetado pelo prefeito Marchezan Jr., que depois teve seu veto derrubado. Também, protocolei um Projeto Indicativo ao prefeito para que Porto Alegre aderisse ao Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares, buscando que as escolas municipais também recebam essa contribuição na educação, que traz mais disciplina e civismo ao ensino, o que eu, como filha de militar e entusiasta dos valores militares, vejo de forma extremamente necessária e positiva. 
Dentre as iniciativas, me orgulho de ter proposto uma reunião da Comissão Permanente que integro, que trata da Defesa do Consumidor, Direitos Humanos e Segurança Urbana. Discutimos com especialistas da área, o tema “Vigilância e Segurança”, sua fiscalização e responsabilidades, questão urgente que muito me preocupa, pois lida com a proteção dos cidadãos e a prevenção de situações de violência e criminalidade nos estabelecimentos de Porto Alegre. Com orgulho, no segundo semestre assumi a liderança da bancada do meu partido na Câmara e posso dizer que tive um ano de boas agendas, dentro do possível, sempre de máscara e seguindo os protocolos. 
O fenômeno do isolamento social gerou a necessidade de ainda mais comunicação entre as pessoas. Uma das atividades que despontaram e viraram obrigatórias para todas as áreas foram as Lives e tive a oportunidade de ser convidada para várias delas, dividindo a tela com jornalistas, políticos e influenciadores digitais. Também, foi muito bom continuar a minha participação num programa de TV que eu gosto muito, que é o Pampa Debates, onde muito discutimos as consequências da pandemia na sociedade, sempre apontando soluções. Infelizmente, em função da pandemia, Porto Alegre se viu frente a uma grande crise econômica, quando o comércio e os serviços foram fechados a partir de uma série de decretos do prefeito da Capital, que impuseram severas restrições, algumas incabíveis ou desnecessárias, causaram muitos desempregos e muita insatisfação das categorias trabalhadoras e da população, para além da preocupação inquestionável com a doença. 
Mesmo com o período eleitoral e o dia da votação adiados devido à pandemia, tivemos eleições municipais. Foi uma campanha eleitoral diferente, com novas regras e novos ânimos, muito competitiva, menos presencial e mais virtual. Contando com uma equipe guerreira, divulgando e levando a minha candidatura aos porto-alegrenses, fui reeleita vereadora. O pleito de 2020 elegeu 11 parlamentares mulheres, um número inédito na Câmara Municipal e confirmou que Porto Alegre queria Sebastião Melo como seu prefeito. Foi muito gratificante me engajar na sua campanha vitoriosa.  










                               













Nenhum comentário:

Postar um comentário